Os 10 procedimentos cirúrgicos mais comuns no Brasil

Além de oferecer dados sobre equipamentos, profissionais e tecnologias médicas dos hospitais latino-americanos, também documentamos os tipos de procedimentos cirúrgicos realizados nas instituições médicas da região.

É por essa razão que, no verão de 2018, lançamos o SurgiScope, um banco de dados que compila informações sobre a realização desses procedimentos no Brasil, no Chile, na Colômbia e no México.

O Brasil é o maior mercado hospitalar da região, com cerca de 7,8 mil hospitais e centros cirúrgicos. No SurgiScope, apresentamos dados sobre instituições privadas brasileiras e, no futuro, esperamos ampliar também nossas soluções para incluir informações sobre procedimentos cirúrgicos realizados em hospitais públicos. Os dados que temos oferecem uma visão interessante sobre o setor de saúde brasileiro, sobretudo quando consideramos que 58% dos estabelecimentos do país são privados.

Apresentamos abaixo uma análise dos 10 procedimentos cirúrgicos mais comuns realizados em instituições médicas privadas do Brasil:

  1. Operação cesariana: cirurgia muito comum para partos
  2. Turbinectomia: remoção dos ossos dos cornetos nas vias nasais para aliviar a obstrução nasal
  3. Cirurgia de veias varicosas: remoção dessas veias
  4. Posicionamento ureteroscópico de cateter duplo J unilateral: ajuda a tratar cálculos ureterais e a obstrução do fluxo urinário
  5. Cirurgia de catarata: facoemulsificação com lentes intraoculares para restaurar a visão
  6. Colecistectomia sem colangiografia por videolaparoscopia: remoção da vesícula biliar
  7. Septoplastia: correção de desvio de septo (estrutura composta de osso e cartilagem que divide as narinas)
  8. Ureterolitotripsia rígida unilateral: tratamento de cálculos ureterais
  9. Colecistectomia com colangiografia por videolaparoscopia: retirada da vesícula biliar
  10. Toracocentese (punção pleural): remoção de ar ou líquido da cavidade pleural

Como esses procedimentos refletem os problemas de saúde no Brasil?

Eles não parecem refletir muito esses problemas. O IHME compilou uma lista das doenças que causam mais mortes no Brasil:

  1. Doença cardíaca isquêmica
  2. Derrame cerebral
  3. Infecções respiratórias inferiores
  4. Doença de Alzheimer
  5. Doença pulmonar obstrutiva crônica
  6. Violência interpessoal
  7. Diabetes
  8. Acidentes de trânsito
  9. Cirrose
  10. Doença renal crônica

São várias as possíveis razões pelas quais os procedimentos cirúrgicos realizados no setor privado não refletem as principais causas de morte. Um dos motivos é que nem todos os brasileiros têm condições de ir a um hospital particular e, portanto, as cirurgias nesses hospitais não tendem a ser representativas da população do país como um todo. Outro é que as principais causas de morte afetam uma faixa muito maior da população e esses pacientes poderiam ter uma probabilidade maior de acabar em um hospital público, já que essas instituições são mais acessíveis e geralmente têm muito mais leitos que os hospitais privados. Um terceiro fator poderia ser a infraestrutura simples: mostramos recentemente como a falta de infraestrutura nos hospitais latino-americanos se reflete nos tipos de cirurgias realizadas por lá. Fatores adicionais também podem contribuir para essa discrepância, como o fato de alguns procedimentos no setor privado de saúde serem eletivos (isso não ocorre no setor público de saúde). Além disso, como procedimentos cirúrgicos podem evitar óbitos, é possível que realmente haja uma correlação inversa entre os procedimentos e as causas de morte.

O que esses dados nos mostram?

Embora não reflitam o quadro completo da saúde no Brasil, essas cirurgias comuns oferecem algumas perspectivas interessantes a profissionais do setor. Os tipos de cirurgias são um reflexo dos problemas de saúde mais comumente corrigidos. Consequentemente, eles também refletem a demanda do mercado hospitalar em termos dos equipamentos e dispositivos médicos e dos produtos farmacêuticos necessários para tratar esses problemas. E esse segmento de hospitais privados pode ser um alvo lucrativo para empresas, já que, além de compor a maioria dos hospitais brasileiros, eles tendem a ter orçamentos maiores que os de hospitais públicos.

Próximos passos
Solicite uma demonstração do SurgiScope para compreender melhor como você pode usar essa ferramenta para avaliar a demanda em hospitais privados brasileiros e identificar rapidamente as melhores perspectivas de vendas.

Recent Posts

Quer se manter informado sobre as principais notícias de saúde na América Latina?

Inscrever-se para o GHI Newsletter

Contact Us

Please feel free to contact us at any time. Send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Editar texto captcha txt

Start typing and press Enter to search